29/10/13

POR FAVOR, NÃO DEIXEM ESQUECER ANTÓNIO FRAGOSO....

Será que corremos o risco de esquecer...

A N T Ó N I O   F R A G O S O?

SIM,

  • Porque, depois de toda a sua obra musical ter sido revista tecnicamente pela Universidade de Coimbra, todas as suas composições terão de ser objeto de revisão por um compositor de reconhecidos méritos, e isso custa alguns milhares de euros;

  • Porque logo a seguir, teremos que fazer a notação e a indispensável revisão da notação. Também isso custa mais alguns milhares de euros;

  • Depois desejamos colocar num site todas as suas partituras para que possam ser utilizadas por músicos de todo o mundo. Ora a criação de um site tem os seus custos…

  • Também o seu inédito espólio literário já foi transcrito, estão a desenrolar-se novas investigações sobre o percurso de vida de António Fragoso e prevemos receber os textos para serem publicados em finais de 2014. Mais investimento…

  • Ao longo destes últimos três anos, um crescente número de artistas estrangeiros têm vindo a interpretar a música de Fragoso. Consideram-na de grande valor e colocam-na na classe dos grandes compositores imortais, mas continuam a ter enormes dificuldades em obter as suas partituras…

  • O que se está a descobrir, conduz à elaboração de uma indispensável nova Biografia, porque o que de novo se está a estudar sobre Fragoso a isso obriga. E, como sabem, um livro custa a escrever e a editar. Não temos, nem tivemos até agora qualquer subsídio governamental e só recebemos um apoio do Município de Cantanhede para a edição de uma coleção de CD’s temática intitulada “Eternal Music” que nos apresenta Fragoso ‘ao lado’ dos grandes compositores imortais, como Beethoven, Mozart, Mahler, Debussy, Schubert, Chopin e tantos outros. Concorremos a apoios, mas esta coleção não foi contemplada com qualquer subsídio estatal, apesar de ser visível que, desta maneira, Fragoso se tornava num deles e se internacionalizava. Reproduzir os dez discos e comercializá-los no mundo inteiro, custa também  milhares de euros…

  • Um conceituado e muito famoso pianista estrangeiro está a gravar a Integral de Piano de António Fragoso. Apesar de termos negociado condições bastante favoráveis, o CD,  sua gravação e reprodução custam dinheiro….

  • Também uma das nossas maiores sopranos, acompanhada por um reconhecido acompanhador, nos propôs gravar a Integral de Canto…

  • E muitos mais projetos de colocar António Fragoso no patamar da fama que ele tanto merece, existem, mas têm sido adiados sine die. Até quando?

Mas, não podemos continuar a adiar tudo e “também a sua obra”…
E de Fragoso só se pode dizer, como fazia o Maestro Pedro de Freitas Branco, que “tinha a envergadura necessária para se tornar o maior compositor português de todos os tempos”.

Mas para que tudo isto se concretize, precisamos da generosidade dos nossos AMIGOS.

Pode contribuir com qualquer quantia e será “Mecenas Cultural de Fragoso”. A  Associação António Fragoso foi reconhecida entidade de Interesse Cultural, por Despacho do Secretário de Estado da Cultura, datado de 21 de Janeiro de 2013. Assim, o seu donativo usufrui dos benefícios fiscais em IRS ou IRC, ao abrigo da Lei do Mecenato (Art.º 62 ou 63º do Estatuto dos Benefícios Fiscais).

Poderá remeter-nos o seu donativo por cheque ou por transferência bancária para a nossa conta
com o NIB 0035 0632 00000136530 96

Ou para o     IBAN  PT50 0035 0632 00000136530 96                                      
com  o   BIC Swift  CGDIPTPL

Por facilidade administrativa, solicitamos o envio do comprovativo da transferência bem como o seu NIF e morada para remessa do respectivo recibo. Se quiser fazê-lo anonimamente, só pode contar com a nossa eterna gratidão.

Para o esclarecimento de qualquer dúvida pode usar o telf. 961 328 336 ou para a nossa sede sita no 
Largo António de Lima Fragoso, nº 12
3060 - 503 POCARIÇA

ou para o nosso mail: aaf@antoniofragoso.com

Desde já, o nosso amigo BEM HAJA, porque está a contribuir para que António Fragoso não seja esquecido pelas gerações vindouras e se torne IMORTAL.                                                                     
                                                                        A Direção da
                                                           Associação António Fragoso                                                        
Pocariça, Outubro de 2013  

        













Sem comentários:

Enviar um comentário