03/01/10

João Paulo Santos


O pianista João Paulo Santos, com a soprano Ana Ester Neves, interpreta duas canções de António Fragoso: a "Canção da Fiandeira" (uma das "Canções do Sol Poente", a partir de poemas de António Correia de Oliveira), e "Sérénade", sobre poema de Paul Verlaine.

Nascido em Lisboa, concluiu o curso superior de Piano no Conservatório Nacional desta cidade na classe de Adriano Jordão. Trabalhou ainda com Helena Costa, Joana Silva, Constança Capdeville, Lola Aragón e Elizabeth Grümmer. Na qualidade de bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian aperfeiçoou-se em Paris entre 1979 e 1984. Em 1984 aceitou o cargo de Maestro Assistente do Coro do Teatro Nacional de São Carlos. Convidado para Maestro Titular do Coro do Teatro Nacional de São Carlos em 1990 ocupou este cargo até à Temporada de 2004. Actualmente desempenha as funções de Director de Estudos Musicais e Director Musical de Cena do mesmo Teatro. Paralelamente – e desde 1990 – desenvolve uma intensa actividade como chefe de orquestra, tendo-se estreado com The Bear (William Walton), encenada por Luis Miguel Cintra, para a RTP. Seguiu-se a direcção de, entre outros títulos, Let’s Make an Opera (Britten); Help, Help, the Globolinks! (Menotti), na Culturgest; Sweeney Todd (Sondheim), no Teatro Nacional D. Maria II; Albert Herring (Britten), Neues vom Tage (Hindemith) e Le Vin herbé (Frank Martin), no Teatro Aberto (2001). Tem sido convidado a dirigir estreias absolutas de muitos compositores portugueses, entre os quais, António Chagas Rosa (Cânticos para a Remissão da Fome), António Pinho Vargas (Os Dias Levantados, Édipo, a Tragédia de Saber), Eurico Carrapatoso (O Lobo Diogo, A Floresta, Mentes Peer! e Nove Vocalizos para Catarina e Arcos. No Teatro Nacional de São Carlos dirigiu a estreia em Portugal das obras Renard e Les Noces (Stravinski), The English Cat (Henze) e Orphée aux enfers (Offenbach). Na qualidade de pianista apresenta-se frequentemente a solo, em grupos de câmara, acompanhando cantores, e em duo com a violoncelista Irene Lima desde 1985. Do seu repertório destaca-se a interpretação da integral das Sonatas para piano e outros instrumentos de Hindemith. Gravou vários discos, um dos quais com obras de Erik Satie e Luís de Freitas Branco (EMI Classics). Foi galardoado com o Prémio «Acarte 2000» pela direcção musical de The English Cat.

Sem comentários:

Enviar um comentário